Betsson AB adquire participação de 75% na corrida brasileira de Suaposta

Betsson AB adquire participação de 75% na corrida brasileira de Suaposta

Betsson AB adquire participação de 75% na corrida brasileira de SuapostaA Betsson AB, listada na Suécia, informou que adquiriu uma participação majoritária de 75% na operadora brasileira de corridas Suaposta, conquistando uma posição inicial no Brasil antes da planejada abertura regulamentada do mercado.

A administração da Betsson confirmou seu investimento em Suaposta, mas ainda não decidiu divulgar quaisquer termos do acordo.

Operando em colaboração com o Jockey Club do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, a Suaposta fornece serviços de apostas online de corridas brasileiras, aprovados pelo Ministério da Agricultura e Pecuária do Brasil.

A empresa de corridas é o antigo ativo da América Latina do grupo de jogos Codere SA Bolsa Madrid, que foi comprado em 2018 pela equipe de gestão de André Gelfi e Fernando Corrêa.

A Games Magazine Brasil informou que Gelfi e Corrêa manterão a liderança de Suaposta, mantendo uma participação de 25% no novo ativo da Betsson.

As negociações em setembro viram a governança da Betsson aprovar uma emissão estável de títulos privados, aumentando €90 milhões em capital de giro de investidores institucionais, promovendo “iniciativas de crescimento contínuo”.

Pesando pelo aumento da carga tributária na Europa, o CEO do Grupo Betsson, Pontus Lindwall Q3 Trading, enfatizou a expansão da “distribuição geográfica” da empresa para novas regiões não saturadas.

Atualmente, a liderança do setor aguarda a liberação do decreto oficial sobre serviços regulados de apostas com probabilidades fixas do governo brasileiro.

O governo propôs uma taxa de rotatividade de 1% sobre os produtos de apostas na consulta preliminar divulgada em setembro. No entanto, os relatórios do setor sugerem que as condições dos impostos podem ser modificadas ainda mais.

Analistas do setor apontaram que o governo brasileiro aplicará ‘taxas operacionais mensais’ em instalações de apostas esportivas, além de um montante fixo de R$3 milhões (£600.000) para uma licença de nove anos.

Os órgãos esportivos profissionais brasileiros levantaram outras preocupações regulatórias em relação à falta de
provisões e proteções de integridade detalhadas nos projetos de estrutura do governo.

Notícias relevantes