Começam a surgir tensões sobre a privatização das apostas esportivas no Brasil

Começam a surgir tensões sobre a privatização das apostas esportivas no Brasil

Começam a surgir tensões sobre a privatização das apostas esportivas no BrasilO senador brasileiro Jaques Wagner encaminhou pedido ao Ministério da Economia para detalhar os benefícios da inclusão das apostas esportivas no Programa Nacional de Desestatização (PND), que visa privatizar alguns setores para gerar mais recursos e receitas.

De acordo com o PTSenado, Wagner pediu ao ministro da Economia, Paulo Guedes, que justificasse a transferência das apostas esportivas para a iniciativa privada e a retirasse das mãos da Caixa Econômica Federal, que hoje tem estrutura operacional e experiência.

O presidente Jair Bolsonaro assinou em agosto o Decreto 10.467, estabelecendo que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Ministério da Economia serão os responsáveis ​​pela gestão da privatização das apostas esportivas. A lei estabelece que as apostas esportivas estão inseridas no Programa de Desestatização e Investimentos (PPI), por meio do qual determinadas atividades serão exploradas pelo setor privado.

“Essa iniciativa parte da premissa equivocada de que a transferência do Estado para o setor privado é benéfica para a sociedade”, diz Wagner.

“Isso demonstra que, na realidade, a venda de determinados serviços é prejudicial ao bem-estar do brasileiro, pois além de desistir de uma atividade, traz um risco concreto de canibalização do mercado das loterias federais”.

Além disso, o senador explicou que se forem privatizados alguns programas sociais deixarão de receber tanta ajuda, como a Previdência Social, o Fundo Nacional de Cultura, o Fundo Penitenciário Nacional, o Fundo Nacional de Segurança Pública, os Jogos Olímpicos Comitê e Comitê Paraolímpico Brasileiro.

Notícias relevantes