Presidente assina projeto de lei de apostas esportivas histórico

Presidente assina projeto de lei de apostas esportivas histórico

Presidente assina projeto de lei de apostas esportivas históricoBrasil finalmente legaliza as apostas esportivas depois de tentativas fracassadas de expansão da indústria de jogos de apostas no país

A Medida Provisória 846/2018 (MP 846/2018) foi introduzida em sua forma definitiva. Demorou cerca de três semanas para que a peça fosse aprovada no comitê da Câmara dos Deputados, no plenário da Câmara e no Senado.

O projeto de lei contém principalmente disposições para a distribuição de receitas fiscais da loteria do país, mas também inclui medidas que autorizam o fornecimento de serviços de apostas on-line e terrestres em todo o Brasil.

De acordo com a MP 846/2018, o Ministério da Fazenda do país terá agora dois anos para elaborar um sistema regulatório sob o qual o nascente mercado de apostas esportivas do Brasil será administrado. No entanto, esse período de dois anos pode ser estendido por mais dois anos, se os legisladores não implementarem os regulamentos exigidos.

A peça legislativa diz que as apostas esportivas no país “devem ser operadas exclusivamente em ambiente competitivo”, mas tem havido sugestões de que os legisladores possam buscar um sistema de monopólio.

A MP 846/2018 foi apresentada no Congresso Nacional do Brasil no início deste ano, mas sua forma original não ganhou muita força, pois exigia que os lucros da loteria fossem transferidos apenas para a segurança pública. Essa proposta não atraiu o presidente que levou à revisão da peça em sua forma final, que distribui o dinheiro da loteria também para espo,rtes e cultura.

Alocação de receitas de loteria

Conforme mencionado anteriormente, a alocação de fundos da loteria do país foi o foco principal da peça legislativa recentemente assinada. Os ministérios de segurança pública, esportes e cultura do país receberão uma parcela da arrecadação de impostos da prestação de serviços de loteria no país, de acordo com a MP 486/2018.

Pelas projeções do governo federal, o montante de R $ 1 bilhão poderia ser destinado à segurança pública, de R $ 630 milhões ao esporte e de R $ 412 milhões à cultura. Quanto às apostas desportivas, 2,5% da receita fiscal da sua prestação em instalações terrestres e 1% da receita fiscal das apostas online seriam contribuídos para o Fundo Nacional de Segurança Pública

O Ministério da Cultura receberá 2,91% da arrecadação do imposto de loteria a partir de 2019, enquanto o Ministério do Esporte receberá 3,53% a partir do próximo ano.

A legalização das apostas esportivas é um passo importante para a liberalização do mercado de jogos de apostas no Brasil, mas o país ainda parece estar longe de permitir mais produtos de jogos de apostas em seu território. Os legisladores têm pressionado por uma expansão mais ampla do jogo, que incluiria a legalização do popular jogo do bicho, tipo loteria, cassinos físicos e jogos online, mas seus esforços tiveram pouco sucesso. Vários projetos de lei sobre o assunto permaneceram paralisados no Congresso Nacional por anos e ainda não se sabe se o novo presidente do país favoreceria a legalização de mais formas de jogo.

Notícias relevantes