Regulamentação Brasileira Sobre Apostas Esportivas

Regulamentação Brasileira Sobre Apostas Esportivas

Regulamentação Brasileira Sobre Apostas EsportivasO Brasil tem a quinta maior população e a nona maior economia do mundo, o país poderia facilmente ser um mercado significativo para apostas esportivas. Com uma população próxima a 220 milhões, o mercado brasileiro de apostas esportivas pode valer mais de US $ 1,15 bilhão, como apontou a senadora Flexa Ribeiro. Embora as apostas esportivas online brasileiras tenham sido amplamente regulamentadas até agora, as apostas esportivas online eram legais. Tentativas de proibir jogos de apostas online provam como é predominante.

O governo no Brasil tentou proibir pagamentos de jogos de apostas online em 2006, 2008 e em 2010. Até agora, todas as tentativas falharam. Além disso, o Senado tentou banir as apostas esportivas online em 2011. Essa medida também não conseguiu obter apoio suficiente. O Senado brasileiro aprovou um projeto de lei em 2015 que propunha regulamentar e tributar as apostas online, além de criar duas novas loterias.

Área cinzenta legal

A ex-presidente brasileira Dilma Rousseff vetou a lei em 2015 e, até agora, as apostas esportivas online operam em uma área legal cinza. Embora os brasileiros adorem apostar em eventos esportivos, não existem muitos livros esportivos online legítimos no Brasil. Até agora, os jogadores brasileiros acessaram as casas de apostas internacionais que aceitam jogadores de dinheiro real do Brasil.

Regulamento para apostas esportivas online no Brasil

Os sportsbooks(livros esportivos) online que atendem aos apostadores brasileiros precisam incluir opções de apostas na América do Sul e na Europa. Um sportsbook brasileiro legítimo oferece apostas no Jiu-Jitsu em artes marciais mistas. Vários lutadores brasileiros participam do MMA; portanto, os sportsbooks precisarão oferecer opções de apostas no UFC, bem como em outras associações significativas de MMA. Outros esportes populares no Brasil incluem basquete sul-americano e da NBA, além de corridas de cavalos. Os sportsbooks precisarão ter todas as apostas esportivas online em  português. Os sites também devem suportar transações online em reais.

Nova legislação sobre apostas esportivas

O Congresso brasileiro finalmente aprovou a Medida Provisória (MP) 846. Foi posteriormente assinada na Lei 13.756 / 2018 em dezembro de 2018 pelo Presidente. A lei autoriza as apostas esportivas online e as apostas em terra, no entanto, a legislação ainda não recebeu regulamentos de aplicação específicos que permitem a concessão de licenças a operadores de apostas privadas. O Ministério das Finanças do Brasil será o novo regulador das apostas esportivas legais no país. Estima-se que sejam necessários mais dois anos para finalizar todos os regulamentos específicos.

Desde que a Lei 13.756 / 2018 foi aprovada e sancionada, o mercado brasileiro de apostas esportivas sofreu uma grande mudança. Houve um crescimento significativo na receita de publicidade para clubes de futebol locais. Foram notados aumentos no número de torneios e ligas de futebol, embaixadores esportivos e patrocínios. Novas operações terrestres e online surgiram à medida que o aumento projetado no volume de apostas entra em vigor. A nova legislação estabelece apostas de cota fixa para operadores de varejo e online. Os operadores online serão obrigados a pagar pelo menos 89% das apostas devolvidas ao cliente.

Além disso, as operadoras terão que pagar uma taxa de imposto de 8% sobre seu faturamento. Destes 8%, 3% deve ser canalizado para educação, previdência social e aplicação da lei. Inesperadamente, a aprovação do projeto foi aprovada de forma relativamente rápida para o país, notória por seu sistema político complicado. O novo clima político parece ser muito mais amigável com o jogo. O Projeto de Lei do Senado PLS 186/2014, aprovado neste ano, legalizando apostas esportivas online, jogos de cassino online e bingo, foi derrotado por 13-2 em uma votação no Senado.

Consulta Pública Final

Os potenciais operadores de apostas esportivas no Brasil estão sendo convidados para uma consulta pública final. É uma chance de influenciar e moldar as novas regras de jogo antes de serem gravadas em pedra. O Ministério da Economia do Brasil anunciou a consulta sobre os planos propostos e a regulamentação das apostas esportivas online e offline. As partes interessadas tinham até o final de setembro para apresentar suas propostas e contra-reações ao novo projeto de decreto. O documento foi lançado inicialmente em julho e atraiu 1.850 envios, sendo um terço deles de tipos do setor. O projeto de decreto foi o resultado da interpretação das propostas pelo ministério. No entanto, aparentemente ainda havia várias áreas de incerteza.

Sumário

Além disso, o decreto confirma que os operadores online e terrestres terão de pagar 1% de imposto sobre o volume de negócios das apostas. Segundo estimativas do governo, isso resultará em cerca de 6% da receita bruta do jogo. O projeto de decreto não contém nenhuma outra informação sobre taxas ou impostos; no entanto, o governo confirmado anteriormente pelos licenciados deve pagar uma taxa inicial de US $ 735 e taxas mensais de BRL30k para operadoras online, BRL20k para terrestres e BRL45k para ambos de uma só vez.

Os candidatos a licenças de apostas precisam fornecer comprovante de reservas financeiras de US $ 1,5 milhão para garantir que os apostadores sejam pagos se a casa de apostas encontrar dificuldades financeiras. Toda a publicidade de apostas deve ser acompanhada por uma mensagem de jogo responsável, e as páginas iniciais dos operadores online precisam estar visíveis. Os operadores não terão permissão para tirar sarro das crenças ou tradições culturais no Brasil, ou zombar de pessoas que desaprovam o jogo.

Os operadores que desrespeitarem as regras podem sofrer penalidades no valor de 100% de sua receita bruta. Os infratores reincidentes recebem o dobro da penalidade original. A legislação sobre apostas foi sancionada no ano passado, permitindo dois anos para o governo fazer os regulamentos finais de apostas. O plano é preparar e finalizar as regras até dezembro de 2019, antes do lançamento do mercado de apostas em junho de 2020. As operadoras já estão salivando com a perspectiva de oferecer apostas esportivas aos 212 milhões de residentes no Brasil.

Cassino online

Notícias relevantes